sexta-feira, 23 de julho de 2010

Liderança pragmática

Fidalgos amigos, quem diria. Ano passado ficamos durante todo o brasileiro sendo cutucados pelo tridente afiado e pontiagudo do cramulhão da segundona e, somente na última rodada, livramos nosso lombo do enxofre flamejante. E hoje estamos na liderança absoluta, incontestável, com pontos de sobra para o quarto colocado e, ainda por cima, com reforços que vão melhorar ainda mais este time que, se não se desgovernar, pode fazer história. Deco, Sheik e Beletti chegam para reforçar um time coeso e absoluto, as cerejas no elenco tricolor.

Quando digo pontos de sobra, falo de seis pontos para o quarto colocado! Falo de dez jogos com sete vitórias, um empate e duas derrotas. Falo da melhor defesa do campeonato e do time que mais venceu, sendo três das sete vitórias fora de casa: Tsunami tricolor contra os avaianos, ensopado de galinha contra o Atlético Mineiro e, por fim, uma lição nos fedelhos da vila. Não fosse o tropeço contra o Prudente estaríamos quase dando uma volta no Vasco, mais ou menos como o Senna fazia toda corrida com o Satoro Nakajima.

Tudo isso, não devemos nos enganar, resultado do investimento de nosso Abramovich tupiniquim, Celso Barros, e da competência do Muricy, que trouxe o ritmo de trabalho paulista para a orla carioca. Já disse lá em casa que pode faltar tudo, não me interessa. A prioridade é pagar a Unimed em dia. Tricolor que é tricolor, paga a Unimed em dia. Não sei por que tantas eleições se, no final, todo mundo sabe que quem manda é ele, o dono do carro forte. E, depois de muito tempo, usamos o dinheiro da maneira correta, sem gastar com cláudios pitbulls da vida. Trouxemos Muricy, Beletti, Deco, Carlinhos, Sheik e, vá lá, Valência e André Luis. Tirando o último, que é doido varrido, são contratações de peso, de qualidade. E, depois também de muito tempo, não dispensamos mais da metade do elenco já no meio do ano. No flu era assim: 38 contratações em janeiro e 35 dispensas em junho, ou seja, dinheiro jogado fora e que agora foi pro investimento certo.

Nosso caminho agora é o do pragmatismo de nosso coach. Uma defesa sólida e um ataque que aproveita as poucas oportunidades que tem. Neste esquema com três zagueiros, o Fred fica isolado e o Conca perdido no meio, sem ninguém pra conversar. É uma tática que aposta na rapidez dos contra-ataques, como aquele que nos deu a vitória contra os outrora meninos da vila. Tanto na Vila Belmiro como contra o Cruzeiro, não fizemos uma bela partida. Fomos pressionados, jogamos recuados, erramos uma enormidade de passes e o FH nos salvou várias vezes. Ainda assim, ganhamos dos dois e somamos seis pontos sem tomar nenhum gol, é o que importa na cartilha do Muricy. Com a chegada do Deco, vai ficar mais difícil montar o time com três zagueiros, já que ele ou Conca teriam que ficar no banco, uma vez que Diguinho e Diogo são fundamentais na proteção da zaga, já que Carlinhos e Mariano se mandam e pouco se importam com a defesa.

Time montado, elenco reforçado e liderança assumida, sem nenhum campeonato paralelo pra nos tirar a atenção. Como bem disse o Josué, uma espécie de polvo vidente aqui do blog, temos tudo pra chegar nas cabeças e levar essa taça depois de 26 anos. Ele só errou porque achou que ia levar umas quatro ou cinco rodadas para chegarmos ao topo. Mas tudo bem, polvo flamenguista é assim mesmo. Aliás, temos que parar com essa história de que o Flamengo é candidato ao título. O TSE já disse que só pode se candidatar que tem ficha limpa.

Sobre o Bruno, ia falar, mas desisti. Só fiquei sabendo que ele disse que, assim que sair da prisão vai no Mais Você da Ana Maria Braga fazer seu prato preferido: escondidinho de presunto.

Qual a diferença entre o Bruno e o Fenômeno?
O que não mata, engorda!

Saudações tricolores!!!

Um comentário:

  1. beautiful blog..pls visit mine and be a follower.. thanks and God bless..

    http://forlots.blogspot.com/

    ResponderExcluir